Abismo infinito review



Fiquei bastante curioso com o RPG nacional de ficção científica Abismo Infinito escrito, desenhado, diagramado, etc por John Bogéa e editado pela retropunk e resolvi ler o quickstart ao qual estou resenhando.

O visual grafico do livro é muito bom, atingindo o nível de alguns livros importados, em capa dura e em formato quadrado (21 x 21 cm). No site da editora você pode baixar grátis as músicas, uma HQ, o quickstart e uma aventura inicial, o que é um bom material de apoio. O livro básico está à venda por 63,00 reais no site da retropunk.

CENÁRIO

Trata-se de um RPG de horror espacial que mistura varios conceitos conhecidos e tem forte influência de H. P. Lovecraft. A história é cheia de clichês idéias já bastante utilizadas em filmes, livros e HQs como a velha história esquerdista e apocaliptica de que o planeta está morrendo, de que não cuidamos direito do nosso lar e agora precisamos enviar missões para encontrar novos planetas habitáveis, ou o motor de dobra espacial, a animação suspensa, etc, mas tem alguns detalhes estranhos como por exemplo  pessoas precisarem se alimentar durante a animação suspensa (???) ou as viagens de dobra que permitem que a nave atinja até mil vezes a velocidade da luz (?????). Além disso o quickstart contém alguns erros de concordância da língua portuguesa.

E é aí que entra o mecanismo de drama psicológico do jogo: com estas viagens, os humanos descobriram da pior maneira que a animaçã suspensa costuma detonar a cabeça dos astronautas e eles sofrem alucinações, depressão, paranóia e por aí vai causando uma síndrome chamada febre do espaço. Esta idéia nós vimos também no filme Pandorum de 2009.


PERSONAGENS

A criação dos personagens é extremamente simples e não ortodoxa. A ficha tem espaço para 3 estatísticas apenas: sonolência, medo particular e ferimentos. Voce escolhe um nome para seu PJ, um cargo entre médico, criptologo, astrogeólogo, cosmólogo, exobiólogo, engenheiro, navegador, psicólogo, segurança e videomaker. Na prática a única influência do cargo, já que não existem skills neste jogo, é que se você for realizar uma ação relacionada com o cargo, você ganha +1 na jogada e se não for relacionada ao seu cargo pocê sofre -1 de penalidade.

Depois disto você escreve uma frase sobre seu personagem, escreve um medo que ele tem e de 1 a 6 âncoras que são coisas que motivam seu PJ como rever a familia, sair de férias, voltar à terra, etc. Estas âncoras funcionam da seguinte forma: o número de dados que o jogador rola depende do número de âncoras que ele têm. 1 âncora = 1d6, 2 a 5 âncoras = 2d6 e 6 âncoras = 3d6. Soma os resultados dos dados, acrescenta algum bônus ou penalidade como pelo cargo e compara com um número alvo escolhido pelo mestre. Bem simples. Ocorre que o número de âncoras que o PJ tiver, ele também vai ganhar de pontos de trauma para distribuir entre sonolência e medo particular. Estes são pontos permanentes.

Durante o jogo o pj vai ganhar pontos de estresse temporário devido às diversas situações que vai enfrentar e quando completar os campos de sonolência ou medo particular ele tem que escolher entre ganhar mais um ponto permanente, reduzindo sua capacidade de suportar o estresse, ou apagar uma de suas âncoras.

CONCLUSÃO

Abismo infinito é uma mistura de diversas mídias de ficção científica (Vanilla Sky, Matrix, Pandorum, Druna, Fantasmas de Marte, Star Trek, Inception - A Origem, entre outras) bem interessante, em um produto agradável e com bom suporte online.

A aventura se passa parte no mundo real, parte na mente dos PJs que sofrem de alucinações coletivas e podem ser atacadas e mortos por elas, e nunca sabem se estão realmente acordados ou sonhando. O cenário, pelo menos no quickstart foca muito neste aspecto psicológico e muito pouco nos planetas e mundos que serão explorados ou nas naves, estações espaciais, etc. O que eu fico pensando é no grau de rejogabilidade que o jogo tem, mas isso só jogando bastante para descobrir.

Já o sistema é muito simples, mas não tanto como Shotgun Diaries. Para o meu gosto é simples demais, eu gosto de sistemas de dados inovadores, estatísticas dos PJs para poder evoluir, etc. O sistema de Abismo Infinito não usa nem uma tabela de armas, baseando o dano na intenção que você tem ao atacar (1d6 se você quer atordoar, 2d6 se você quer ferir ou 3d6 se você quer matar).

Vale a pena ler o quickstart e até jogar uma aventura curta para experimentar, baixar as músicas, etc, e se você preferir algo mais complexo eu recomendo Traveller, Warhammer 40K (Dark Heresy, Death Watch, Rogue trade e Black Crusade) e Alternity Star Drive.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sistemas de RPG parte 1: Dados

Sistemas de RPG parte 3 - Evolução dos personagens