Muitas novidades...Pouco tempo e mesas digitais

O mercado para quem joga RPG está muito bom. Novidades não param de chegar para todos os gostos (pelo menos isso no exterior), mas aqui no Brasil temos alguma coisa legal. Trata-se do Abismo Infinito trazido pela Retropunk. Pretendo dar uma olhada e postar alguma coisa, mas de saída já posso dizer que o acabamento do livro é bem feito e o formato é estranho: 21 x 21 cm. Com certeza não ficar legal na estante do lado dos outros livros de formato tradicional.

O maior problema meu no momento é tempo e gente para jogar. Se eu tivesse apenas o RPG como hobbie até ficava fácil, mas tem os boardgames, o mahjong, os animes, filmes, quadrinhos, livros (não de RPG), o estudo de novas línguas, e por aí vai.

Além disso estou (re)iniciando um projetinho meu que é a construção de uma mesa digital para RPG que eu pretendo ir postando as etapas do processo. Apenas para ilustrar os desafios necessários e o que eu já reuni de informações na net veja o seguinte:

1- As pessoas que estão montando mesas digitais têm usado ou um projetor ou uma tela LCD/LED embutida na mesa. O projetor pode ser montado no teto ou no chão com um espelho orientando a imagem para uma tela na mesa. A principal desvantagem que eu vejo é que você tem que jogar com pouca iluminação, mas existem outros inconvenientes. Já a LCD/LED tem um problema principal que é o efeito paralax que ocorre quando você coloca um vidro de proteção em cima dela e que faz com que as miniaturas em cima do mapa não permaneçam nos quadradinhos dependendo do ângulo de visão, mas isto tem muitas maneiras de contornar.

Você vê na imagem acima que o projetor gera sombras das pessoas em cima do mapa e a imagem não fica muito bonita a menos que a sala esteja completamente escura.


Nesta imagem podemos ver a solução usando projetor no teto com espelho

2- O segundo problema a ser resolvido é SE você vai apenas projetar o mapa ou vai fazer algo mais elaborado e usar uma superfície de toque para mover o mapa, tokens de inimigos, etc. Isto pode ser feito de muitas maneiras e existem telas multitouch prontinhas de até 80 polegadas, mas você pode imaginar o precinho. Existem outras soluções como uma película multitouch que pode ser colada diretamente na tela que a torna uma tela de toque capacitiva que reconhece até 12 pontos de toque simultâneos, mas é muito cara (uns U$ 1000,00). Aí vem as gambiarras. Tem como montar diversas tecnologias não muito complicadas usando uma borda de LED infra-vermelho, ou 4 lasers IR e uma câmera IR. O resultado é muito bom, fica igualzinho um ipad grandão. Outra solução muito simples é usar um controle wiimote do Nintendo Wii conectado via blutooth para reconhecer os pontos de toque usando canetas que a ponta é um LED IR. Por enquanto estou pendendo a usar esta última opção até que outras tecnologias mais atraentes barateiem.

Esta é uma mesinha pronta já com uma Tela de LED em cima e o gabite do PC/MAC embutido dentro. Eu não gosto deste desenho pois não dá para sentar e colocar as pernas embaixo dela.

3- A última decisão é que software usar. Eu á vi muitos softwares utilizados para fazer mapas, com linha de visão, que revelam as salas aos poucos, etc, mas nada me agradou realmente. Provavelmente estarei desenvolvendo o programa eu mesmo. Eu já tenho um protótipo funcionando para rolar os dados de forma otimizada e funciona muito bem. vou ter que modifica-lo para a superfície touch e acrescentar os mapas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sistemas de RPG parte 1: Dados

Sistemas de RPG parte 3 - Evolução dos personagens