RPGs de Zumbis parte 1




Se tem um tema que todo mundo parece gostar é o apocalipse zumbi. Comprova-se isto pela quantidade de filmes (Madrugada dos Mortos, World War Z, Noite dos Mortos Vivos, etc), Séries (Walking Dead), Animes (High School of Dead), Quadrinhos (Zombies of Mass Destruction, Rotten, etc), Literatura (Herbert West, Reanimator, etc), Jogos de Computador e Video Game (Resident Evil, Left 4 Dead, etc), Boardgames (Zombies!, Last Night on Earth, etc) e com o RPG não podia ser diferente.

Para este post resolvi fazer um apanhado nos RPGs mais interessantes de zumbi que eu conheço, mas já vou adiantando que até hoje não encontrei um sistema que eu gostasse. Já experimentei vários, nenhum durou mais que 2 sessão na mesa. Ultimamente tenho usado o Alternity para mestrar apocalipse zumbi e survival horror, por falta de outra opção e porque o Alternity é um sistema muito sólido para mestrar qualquer jogo de ficção. Vamos lá:

1- ALL FLASH MUST BE EATEN


Este é bem conhecido, ganhou múltiplos prêmios Origins. Lançado pela Eden Studios, sendo a primeira edição de 1999, mas continua na ativa, lançando suplementos, etc. Ele é interessante no sentido que é completamente customizável. Tudo pode ser criado à partir de ferramentas: os zumbis, seus poderes, suas origens, se eles transformam os outros em zumbis, seus pontos fracos, etc. É interessante que ao longo do livro você encontra todas as versões já vistas de zumbis em vários tipos de mídia e muitos inéditos. Existem variantes de zumbis muito originais e interessantes. Você vai encontrar zumbis causados por vírus, por radiação, por experiências dos militares, por alienígenas, por queda de meteoro, animais zumbis, e por aí vai. Além disso o livro tem muitos cenários de campanha desde o surto zumbi típico numa cidade do interior até o total apocalipse onde um poderoso zumbi lord dominou o mundo todo.
Um dos suplementos mais interessantes é o Worlds of the Dead, onde são descritas muitas realidades alternativas onde os zumbis aprontaram alguma. Por exemplo, zumbis criados por nazistas durante a 2a guerra mundial. Vale muito à pena dar uma olhada.
 
AFMBE usa o UNISYSTEM que é o sistema de regras dos outros jogos da Eden (witchcraft, Buff, Angel, Conspiracy X, Armageddon, Terra Primate, Army of Darkness e Ghosts of Albion). O que eu não gosto no AFMBE é justamente o sistema. Eu acho simplista demais, sem nenhuma inovação. Você compra atributos e skills com pontos, joga D6s, tem vantagens e desvantagens, etc. Tem também a possibilidade de jogar com sobreviventes normais e fraquinhos, heróis mais bombados ou despertos com poderes mágicos.

Para mim é meio fraquinho e eu prefiro um cenário menos genérico, mas confesso que é um dos melhores RPGs de zumbi no mercado hoje, bem acessível mesmo para jogadores iniciantes, os produtos são bem acabados, capa dura, interior branco e preto. Vale conferir. Se eu animar faço uma review mais aprofundada.

2- SHOTGUN DIARIES



Este é um RPG no mínimo estranho, trazido ao Brasil pela Redbox editora, aliás o trabalho dela está excelente, pretendo falar de Old Dragon em breve. Existem 3 verões do jogo: a PDF, uma versão mais simples com o livrinho de 30 páginas (ou menos, não lembro) e uma versão luxo com uns props e dados. Há um CD também com uns sons e o relógio zumbi.

O jogo não possui cenário em si acontecendo as coisas de forma espontânea a medida que a história vai desenrolando. Os jogadores não possuem ficha de jogador, mas apenas o seu "tipo", por exemplo "O fortão". Quando você realizar uma ação relacionada ao seu tipo, você jogada dados à mais. Além disso você joga 1 dado à mais para cada personagem no grupo. Os PJs não têm pontos de vida ou algo similar, se você falar em QUALQUER TESTE (mesmo tentando arrombar uma porta) um zumbi te morde e já era.

Você tem ainda tem uns dados extra para jogar que são os recursos que os PJs recolhem em mercados, etc. Ocorre que a cada 10 minutos de tempo real (você mesmo marca ou pode deixar o CD com o relógio zumbi rolando que a cada 10 minutos ele avisa) os jogadores perdem 1 dado dos recursos e quando os recursos acabam os zumbis invadem o refúgio. Basicamente é isto. O jogo é simples ao extremo, não há ficha de PJ, a evolução dos PJs é mínima, os PJs morrem à rodo e é só escolher um novo tipo e o jogador já está de novo na ação. Eu diria que vale à pena pela simplicidade, em um dia em que faltaram jogadores e não dá para jogar a campanha, mas dificilmente eu imagino alguém jogando uma grande campanha de SD.

Até a próxima parte!

Comentários

  1. O primeiro eu nunca joguei, mas o Shotgum é completamente viajado, dificilmente algum personagem passa da primeira sessão.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sistemas de RPG parte 1: Dados

Shadowrun 5ª edição em português

Symbaorum review parte 1