The One Ring review 2a parte

Continuando a review do TOR vou falar agora do sistema de regras e do sistema de skills.

A regras são extremamente simples e funcionais. TOR usa um sistema de regras totalmente descritivo, o que eu acho muito interessante. É mais ou menos o oposto dos sistemas táticos como o D&D, onde vc precisa saber onde está cada personagem, se o terreno onde está pisando é um terreno difícil, é necessário usar mapas quadriculados para poder calcular flancking e line of sight, etc.
Nos sistemas descritivos nada disso é necessário, sem abrir mão da estratégia e o jogo é infinitamente mais fluido e ágil.

Outra coisa muito legal no TOR que é outra característica dos sistemas descritivos, é que ele possui vários subsistemas. Um RPG possui em média 1 ou 2 subsistemassendo um deles o de combate. O D&D por exemplo possui apenas este, porque a magia não chega a ser um sistema, pois funciona tudo automático e o dano é linear, baseado apenas na perda e ganho de HPs. O Call of Cthulhu, como outro exemplo, possui 2 subsistemas. O de combate e o de sanidade, sendo o dano também linear. Já em TOR existem vários: combate, travel, shadow e encounter que eu explicarei nos próximos posts.


DADOS

Como mencionado anteriormente, o box do jogo vem com um conjunto de 7 dados sendo 1d12 com números de 1 a 10, uma face com o olho de sauron e uma face com a runa de gandalf, chamado de feat die e 6d6 com números 1, 2 e 3 vazados e 4, 5 e 6 maciços, sendo que a face do número 6 contém uma runa tengwar, que são chamados de success dice. Para fazer um teste você sempre joga o feat die, mesmo que seja um teste em uma skill que você não possua nível, e mais um numero de success dice igual ao seu nível na skill usada (ou atributo no caso de valour e wisdom) e soma os resultados dos dados. Essa jogada é comparada com um número alvo determinado pelo mestre, mas que a maioria das vezes é 14. As runas funcionam da seguinte forma: a runa do gandalf é um acerto sempre, independente do valor da soma da jogada, a runa do sauron vale sempre zero, mas a jogada ainda conta e o jogador pode acabar conseguindo bater o número alvo nos outros dados, mas quando uma jogada falha e também sai um olho de sauron, alguma coisa muito ruim acontece, e as runas tengwar são usadas para medir o grau de sucesso do teste caso o jogador passe no teste (nenhuma tengwar equivale a um sucesso simples, uma tengwar a um sucesso grande e duas ou mais tengwar a um sucesso extraordinário).

Quando um teste falha o jogador pode optar por gastar um ponto de HOPE para adicionar o valor do atributo relacionado à jogada se assim ele passar no teste.

VANTAGENS DO SISTEMA

Este sistema extremamente bem bolado conta com uma vantagem que mais uma vez é o boom do momento nos sistemas de RPG: uma curva de bell acentuada. Isto significa que os resultados medianos sao muito mais propensos a sair que os extremos. No d20 por exemplo você tem 5% de chance de sair qualquer número seja um 1, seja um 20 ou qualquer outro.
Além desta enorme vantagem, que faz toda a diferença, e apesar de ser uma jogada contra numero alvo, você tem gradações do nível de sucesso, o que não é o habitual. Em um sistema de jogada contra número alvo normalmente você só tem sucesso ou falha.

SKILLS

O sistema de skills também foi muito polido. Em vez de usar toneladas de skills que vc usará poucas vezes na vida, o jogo utiliza apenas 18 skills, organizadas em uma matriz de 6 linhas e 3 colunas, sendo que cada coluna corresponde à um atributo relacionado à skill e cada linha à um grupo de skills: personality, movement, percetion, survival, custom e vocation. Assim por exemplo, em movement você tem Athletics na coluna do Body, Travel na coluna do Heart e Stealth na coluna do Wits. Quando você quer escalar, nadar, correr, etc, você não tem uma skill para cada ação, você usa athletics para tudo e se precisar pode gastar 1 HOPE para adicionar o valor do Body no teste. O sistema é bem fluído e você resolve tudo praticamente desta forma.

Conforme mencionado existem subsistemas específicos para resolver situações comuns como viagens, e encontros e esses subsistemas envolvem várias jogadas de skills e é uma mecânica bem casada com o sistema. No próximo post, vamos ver como funciona o combate em TOR que é muito interessante e bem diferente do habitual.

Post anterior >>>                              Próximo post >>>

Comentários

  1. Anônimo1:23 PM

    O sistema e o cenário são os pontos mais fortes desse rpg.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sistemas de RPG parte 1: Dados

Shadowrun 5ª edição em português

Symbaorum review parte 1