Yggdrasil review parte 2

Continuando o review do yggdrasil, quero agora falar do sistema de jogo e do sub sistema de combate.

Acima a imagem do escudo do mestre, só em francês por enquanto.


SISTEMA

O sistema é uma variação muito inteligente do roll and keep usado por exemplo no Legend of the Five Rings. Funciona assim: você rola um número de d10s igual ao atributo em questão e escolhe os dois maiores resultados (desde que você jogue 2 ou mais dados, caso contrário segura apenas 1 dado mesmo) e soma os dois. Se algum dado sair 10, ele estoura, ou seja, você rola ele de novo e soma. Neste resultado total você adiciona o seu nível na skill que está sendo testada. Por exemplo, digamos que você está de vigia e vai fazer um teste de vigilance + perception para ver um inimigo se aproximando. Você tem 5 pontos de vigilance e 3 de percetion. Neste caso você rola 3d10, escolhe os dois maiores e soma tudo com os 5 pontos de vigilance. Digamos que saiu assim: 2, 4, 8. O resultado seria 4 + 8 + 5 = 17.

Você pode ainda gastar 1 ponto de furor para jogar e segurar mais 1 dado. O resultado é comparado com um número alvo escolhido pelo mestre e ui tem outro lance interessante. As dificuldades são progressivas: fácil: 10, médio: 14, difícil: 19, muito difícil: 25 e assim vai.

O sistema funciona redondinho e resolve as coisas de forma bem fluida. O que dificulta um pouconanvida do jogador são os modificadores usados no combate e para fazer magias e manobras especiais.


SUBSISTEMA 1: COMBATE

O combate é bem tradicional com os jogadores se alternando de acordo com suas iniciativas, poré existem uns detalhes interessantes: os jogadores têm várias ações por turno, porém a cada açæo realizada ganha-se uma penalidade progressiva: 0 para a primeira ação, -2 para a segunda, -5 para a terceira, -10 para a quarta, etc. Além disso o jogador não realiza todas as ações de uma vez. Todos realizam a sua primeira ação, depois todos realizam a segunda, etc.


Existem diversas modalidades de ataque, usando agilidade, usando força e usando perception, cada uma conferindo alguma vantagem. O ataque é realido contra um número alvo igual a 14 + defesa física do alvo e (isso é muito legal) o excesso do ataque (o quanto você tira acima do valor da defesa) é adicionado no dano. Isso pode causar danos massivos se extourar alguns dados no ataque. O alvo pode tentar uma jogada de dodge ou parry para tentar evitar o ataque, ou pelo menos diminuir a margem de sucesso, mas isso consome uma das suas ações e as penalidades vão subindo. O dano de cada arma é fixo e não precisa ser rolado.

Todo o dano recebido é diminuído da armadura. Uma explicação aqui: a armadura absorve dano em yggdrasil, assim como no warhammer e nao aumenta a CA/TN como no D&D ou no Five Rings. Faltou falar das manobras de combate, ou combat feats que são compradas na criação do personagem com pontos especiais e podem ser compradas com XP na evolução do PJ. Existem diversas combat feats divididas em níveis, como charge por exemplo ou By Thor's Arm que acrescenta 1d10 ao dano por nível (vai até o nível 4). O revés é que cada feat incorre em uma penalidade de -3/nível na jogada de ataque, então tem que saber a hora de usa-las e não sair abusando das técnicas a toda hora.

Uma característica marcante deste jogo é que os PJs recém criados são muito fortes. Eles conseguem causar quantidades massivas de dano, então não tem aquele negócio de ficar matando bicho fraco até evoluir o personagem, você já pode com um grupo bem montado matar um Jotun (gigante) logo de saída.

PONTOS DE VIDA

O HP funciona da seguinte maneira: de 100% a 50% não há penalidades. De 50% a 25% adiciona -3 às jogadas. De 25% a 0% passa a segurar apenas 1 dado nas jogadas. Com 0 HP cai inconsciente e com -25% morre. A cura também depende do nível de ferimentos e existe uma tabela de ferimentos graves que ocorrem quando um PJ perde em 1 só golpe mais da metade dos seus HPs.

O combate é bastante dinâmico e letal. Dura pouquíssimas rodadas e as consequencias podem ser bem ruins. Mesmo assim os PJs não morrem facilmente. A armadura salva muito e as manobras de combate são interessantes e apresentam desafios táticos bem legais. As estatísticas dos inimigos é infinitamente mais simples que a dos PJs ajudando bastante o mestre. O combate pode ser jogado em grid com miniaturas, mas isso é totalmente dispensável podendo ser jogado de forma narrativa sem problema nenhum.

No próximo e último post vamos abordar as magia. Abs a todos.

Post anterior >>>                        Próximo post >>>

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Call of Cthulhu 7ª edição em português em FC!

Sistemas de RPG parte 1: Dados

RPGs de Zumbis parte 1