Yggdrasill review parte 1


Mais um RPG novinho, saído do forno (2012) é o Yggdrasil RPG, onde os personagens são vikings e outros membros da cultura nórdica. O livro é em capa dura, muito bonito com ilustrações em tons de marrom. Este RPG foi também lançado primeiro em francês pela Cubicle 7 e agora traduzido para o inglês. Tem 220 páginas e custa U$ 35,99  na Amazon.

CENÁRIO

A primeira coisa interessante que Yggdrasil faz é desmistificar os vikings como sendo bárbaros. Na verdade eles tinham cidades organizadas, uma religião politeísta, nobres, literatura, etc. Inclusive o livro é recheado de passagens de poemas nórdicos como o Volüspa e várias Sagas.

O livro começa com a descrição do panteão de Disires e Aesires descrevendo os diversos deuses, muitos deles conhecidos devido ao personagem Thor da Marvel: Odin, Frey, Freya, Loki, o próprio Thor, Balder, Heimdall, as Valkirias, etc. Há uma descrição completa da cosmologia onde todos os planos de existência brotam da árvore da vida Yggdrasil. A descrição dos 9 reinos como Asgard, Midgard e Jotunhein é bem breve e deve ser extendida no primeiro suplemento que se chamará Nine Worlds.

Depois disto é descrito o período em que se passa o jogo, do 4º ao 6º século contando a geografia dos países nórdicos e a situação política na época, a vida diária, os costumes, a cultura e civilização, os festivais, a escrita por meio de runas, os meios de transporte, as armas, a guerra, entre outros. Esta parte do cenário ocupa 70 páginas do livro.


PERSONAGENS

O processo de criação dos personagens é bem simples e rápido e apesar de ter várias etapas, todas tem um número não muito grande de opções. Aqui vem um processo interessante para ajudar na interpretação do PJ. Existem 3 grupos de 8 runas do destinoe o jogador sorteia uma runa de cada grupo. Cada runa pode ter aspectos positivos e negativos como a runa Ûruz que pode significar que o PJ tem uma saúde de ferro, ou seu lado negativo, que ele fica doente facilmente. Os jogadores são encorajados a criar o background dos seus PJs baseados nas runas, e se surgir alguma situação em que uma runa esteja envolvida, seja positiva ou negativa, o jogador ganhará bônus na jogada.

Em seguida o jogador escolhe o arquétipo do seu PJ. Uma coisa interessante é que seja um nobre, um berzeker, um merchante, todos são guerreiros e sabem bater muito bem.
Existem vários arquétipos como Jarl, Hirdman, Mercenary, Volva e Thurl que são os "magos", Skald, uma espécie de bardo, etc. Básicamente cada arquétipo tem 5 skills que custam metade do preço durante a criação do PJ e alguns como os magos e o berzeker são obrigados a pegar uma vantagem específica que ativa seus poderes.

Veja abaixo um exemplo de arquétipo: um Berzeker


O PJ possui 9 atributos sendo 3 do corpo (força vigor e agilidade), 3 da mente (inteligência, percepção e tenacidade) e 3 da alma (carisma, comunicação e instinto) que podem ir de 1 a 5 sendo 2 o valor mediano. Você ganha 19 pontos para gastar nestes atributos na bases de 1 x 1 sendo que todos devem estar entre 1 e 4. Acho isso bem legal que você não tem que fazer contas para converter pontos de construção de PJ em atributos, agiliza bem.
Baseados nos valores de atributos serão derivados os valores dos atributos secundários que são HP, Reaction, Physical defense, Mental defense, Movement, Encubrance e Furor. Por exemplo para calcular os HP você soma (corpo x 3) + (Mente x 2) + (Alma x 1). Esta parte também é bem rápida e em seguida você vai escolher as Gifts e Weaknesses que são vantagens e desvantagens. Todo PJ começa com 1 Gift de graça, mas pode pegar mais um se pegar uma weaknesses também. Existem Gifts muito fortes como por exemplo a GUIDED BY THOR que deixa o jogador rolar 1 dado à mais no combate.


O processo de seleção de skills é bem simples também começando o jogador com 35 pontos. Cada nível custa 1 ponto para as skills do arquétipo e 2 pontos para as outras. O limite inicial é de no máximo 7 níveis, mas com XP é possível subir até o nível 20. O PJ pode começar com qualquer arma que tiver pelo menos 1 nível na skill relacionada e com qualquer armadura. O maior problema aqui é o peso dos equipamentos que limita bastante as escolhas.

No próximo post vou falar do sistema de regras e do subsistema de combate.

Próximo post >>>

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sistemas de RPG parte 1: Dados

Sistemas de RPG parte 3 - Evolução dos personagens